segunda-feira, 12 de junho de 2017

Declaração final da Brigada Internacional Primeiro de Maio - 2017

Leia a declaração final da XII Brigada Internacional Primeiro de Maio - 23 de abril a 08 de maio de 2017.
Anny Figuerado, brigadista brasileira; ao fundo mural com Che, Fidel e Cienfuegos
XII Brigada Internacional Primeiro de Maio

Diante do chamado à unidade feito durante o massivo desfile pelo Primeiro de Maio, na Praça da Revolução José Martí, em Havana, 286 brigadistas de 29 países de todos os continentes, membros da XII Brigada Internacional Primeiro de Maio, organizada pelo Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP), repudia energicamente o bloqueio genocida imposto pelos EUA contra Cuba; assim como as campanhas midiáticas que pretendem minimizar as conquistas da invencível Revolução Cubana. 

O imperialismo neoliberal vê com medo o exemplo da sociedade cubana baseada na solidariedade, na equidade e no respeito aos direitos humanos; mas principalmente na dignidade e firmeza moral para enfrentar os desafios e adversidades da luta revolucionária, tornando-se assim uma bandeira para o resto da humanidade na construção de um mundo melhor.

Veja como foi a inauguração da brigada:


Por essas razões expostas: 

1 – Denunciamos e condenamos o governo imperialista dos EUA como principal invasor e violador dos direitos humanos no mundo;

2 – Repudiamos o desumano bloqueio econômico, político e financeiro contra Cuba, que tem causado, e causa consideráveis danos ao povo cubano;

3 – Exigimos o fechamento imediato da base militar de Guantánamo, assim como a retirada das forças de ocupação, que violam dia a dia os direitos humanos e a soberania em Cuba;

4 – Apoiamos a justa causa da Revolução Bolivariana na Venezuela, assim como os povos de Brasil e Argentina contra as políticas de seus atuais governos que pretendem desunir a América Latina através do empoderamento da direita na região;

5 – Reiteramos nosso invariável apoio ao processo de independência e soberania do povo de Porto Rico;

6 – Apoiamos a causa do irmão povo palestino e da República Democrática Árabe Saharaui pelo direito às suas terras, soberania e autodeterminação;

7 – Continuaremos promovendo a batalha midiática nas redes sociais a favor de Cuba e de todas as causas justas do mundo porque nós temos a verdade, na qual constitui um novo espaço de comunicação política e de luta nesses tempos atuais;

8 – Ratificamos a necessidade de manter América Latina zona de paz;

9 – Manter sempre vigente o exemplo da Revolução Cubana para propor a construção de projetos regionais socialistas. 

Brigadista deposita flores no Monumento Julio A. Mella | Prensa Latina
Estimados amigos:

O socialismo hoje pode ser a única solução e reposta para a atual situação da classe trabalhadora. A defesa dos princípios da não ingerência, da soberania, da não intervenção imperialista, da oposição às guerras injustificadas são as causas que hoje, mais do que nunca, são necessárias serem defendidas para a preservação da humanidade. 

Não claudicaremos irmãos, seguiremos junto a vocês para sempre, com o compromisso de levar a mensagem e o exemplo da Revolução Cubana aos nossos países e motivar para que outros se unam na defesa da soberania cubana. 

Até a vitória sempre!

Cuba, 23 de abril a 08 de maio de 2017.

Tradução e adaptação: Sturt Silva/Blog Solidários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário