domingo, 25 de outubro de 2009

Conhecendo Cuba - comidas e bebidas

Misto de carnes cubanas

Os sabores da Ilha

A história de um povo pode ser lida pela evolução de sua culinária. O que comem, como preparam e servem os alimentos revelam costumes e tradições. Quem chega a Cuba vê na gastronomia da Ilha traços marcantes da identidade de seu povo, como a miscigenação racial.

A cozinha típica cubana, conhecida como cozinha crioula, é uma combinação das tradições culinárias da Espanha – colonizadora da Cuba – e da África – continente do qual vinham os escravos. Nela encontram-se também traços dos nativos que já habitavam a Ilha antes da chegada de Colombo, em 1492, e dos chineses que migraram para trabalhar nas lavouras.

Chama-se cozinha crioula a combinação da cozinha espanhola com os produtos mais característicos de Cuba. O ajiaco é um bom exemplo: o tradicional cozido espanhol com um colorido cubano. Neste caso, cozinham-se as carnes com produtos da terra – como a batata, a mandioca, o inhame, a batata-doce, a banana, a abóbora e o milho.

Portanto, nada mais natural que se vejam nos pratos, inicialmente tão exóticos, a mesma gênese da culinária brasileira. É o caso do prato “moros y cristianos”, um cozido cubano de feijão carioquinha com arroz branco, bem parecido com o nordestino baião-de-dois.

Em Cuba existem diversos restaurantes de culinária internacional, como espanhóis, italianos, árabes e asiáticos. Mas se o turista deseja realmente partilhar dos hábitos gastronômicos dos cubanos, existem os restaurantes familiares. O governo permitiu que fossem abertos esses empreendimentos, mas exige que tenham uma estrutura familiar para evitar a relação patrão-empregado. São restaurantes pequenos, cerca de 12 lugares, em residências de cubanos, onde come-se bem e paga-se pouco. Começaram a proliferar na década de 1990, quando ocorreu o Período Especial e a população enfrentou severa crise financeira.

O solo de Cuba é fértil e nele nascem diversos frutos e legumes subtropicais. A banana, o ananás, a laranja, a goiaba, a manga e o mamão são facilmente encontrados em qualquer estação do ano.
Os mares têm abundância de peixes e crustáceos, mas os cubanos não consomem muito esses alimentos. As carnes mais utilizadas são as de porco e frango.

Elas geralmente são temperadas com suco de limão e alho várias horas antes do preparo para apurar o sabor. A banana também é consumida largamente, em receitas doces ou salgadas.

Restaurantes badalados

El Floridita, em Havana Velha, é um dos restaurantes mais famosos de Cuba.

Fundado em 1817, serve os daiquiris mais tradicionais da Ilha. Dentre seus frequentadores ilustres está o escritor norte-americano Ernest Hemingway, que também era visto com frequência no La Bodeguita Del Medio.

Conhecido internacionalmente por seus mojitos, La Bodeguita é uma visita obrigatória para os turistas. Em uma das ruas mais belas de Havana Velha, o Café Del Oriente é um ótimo restaurante.

Para quem deseja aproveitar para apreciar a belíssima vista de Havana, o Sierra Maestra, no 25º andar no Hotel Havana Livre, em Vedado, é a melhor opção. Serve pratos cubanos e culinária internacional.
Também no Vedado, o bar temático Habana Café recebe muitos turistas. A decoração é inspirada nos anos de 1950, com carros antigos e um pequeno avião que fica pendurado no teto. No mesmo bairro, também fica a sorveteria mais famosa da Ilha, a Coppelia, que serviu se cenário para o filme Morango e chocolate.

Nos finais de semana, a sorveteria geralmente tem enormes filas. Um detalhe: os preços são menores para os cubanos, mas os turistas não enfrentam filas.


O que comem e bebem os cubanos

PRATOS E PETISCOS

Moros y cristianos – arroz e feijão carioquinha cozidos na mesma panela;

Congrís – arroz e feijão preto cozidos na mesma panela;

Picadillo a la habanera – carne bovina ou de porco temperada com tomates, pimentão, azeitonas e uvas-passas. Pode ser servido com banana frita e arroz e ainda ovos;

Ajiaco – é o prato nacional. Guisado de vegetais feito de raiz de mandioca, cenoura, ervas, alho, cebola, pimentão verde. Pode ser feito com carne de porco;

Chicharrones de cervo – torresmos de porco;

Tostones – bananas fritas cortadas bem finas servidas salgadas.

SOBREMESAS

Guenguel – doce feito com milho moído, açúcar e canela;

Frutas frescas ou em calda – coco, goiaba e mamão papaia;

Sorvetes – baunilha e canela;

Arroz doce;

Pudim de leite;

Goiabada com queijo;

BEBIDAS

Champola – feita com graviola, sumo de açúcar-de-cana e leite;

Guarapo – sumo da cana-de-açúcar com gelo;

Pru – refresco originário do oriente do país feito à base de raízes. É digestivo e toma-se bem gelado;

Limonada – bebida feita com gelo batido;

Café – servido muito forte;

Sucos de fruta – preparados com água ou leite;

Rum – elaborado a partir do extrato da cana-deaçúcar. O processo de envelhecimento é natural feito em tonéis de carvalho branco em ambiente com umidade e acidez controladas. O de maior prestígio internacional é o Havana Club, antes chamado Bacardi, fundado em 1878. Tem diversas categorias: 
Silver Dry, Añejo, 3 años, Añejo 5 años, Añejo 7 años e Añejo Reserva;

Cerveja – as mais famosas são Bucanero e Cristal;

Daiquiri – feito com açúcar, suco de limão, gotas de marrasquino, rum branco e gelo picado. É servido em copo de champanhe;

Mojito – drinque feito de rum branco e seco, suco de limão, açúcar, gelo picado, soda e yerbabuena, uma erva parecida com hortelã para decorar e dar sabor ao ser amassada;
Cuba libre – rum branco, cubos de gelo, refresco de cola e limão.

Fonte: SÍNTESE CUBANA. EDIÇÃO Nº 110 – ANO III. Boletim Informativo da ASSOCIAÇÃO CULTURAL JOSÉ MARTÍ - CASA DE AMIZADE BRASIL‐CUBA, RIO GRANDE DO NORTE – BRASIL.

Um comentário: